What The France The finest music made in France !

  • anaïs | Primeiro EP “44”
    by Marie-Sophie Administrateur on 27/07/2022 at 08:26

    A voz quente de anaïs combina uma vibração lúdica e sem esforço com um profundo desejo de vida e faz com que se tenha vontade de  conduzir pelas ruas à noite, pôr a música a tocar e soltar-se com a melancolia. Na sua letra, a jovem de 21 anos aborda temas que são também motivo de preocupação para muitos outros jovens: auto-aceitação, saúde mental e relações. O seu primeiro 44 é lançado no label francês Believee. https://www.youtube.com/watch?v=xn02lSWCaps Devido às suas origens belgas, Anaïs cresceu num ambiente multilingue e é fluente em alemão, inglês e francês. Contudo, estas três línguas por vezes não eram suficientes para traduzir os seus sentimentos e pensamentos em palavras, pelo que encontrou uma forma de se expressar através da música. Desde o seu sucesso "Runaway", tornou-se uma referência na cena pop alternativa e, mês após mês, lançou uma série de faixas fortes e estanques que convidam a sonhos quentes de Verão. Descubra mais na nossa playlist "Pop The Champagne" [wtfplaylist id="22965"] The post anaïs | Primeiro EP “44” appeared first on What The France.

  • Christine and the Queens | um novo single para anunciar o álbum
    by Stagiaire 1 Berlin on 21/07/2022 at 08:00

    Após o lançamento surpresa de um novo single, Christine and the Queens alias Redcar anunciou o seu novo álbum Redcar les adorables étoiles para 23 de Setembro. Além disso, foi anunciado um total de três espectáculos para Paris e Londres "em nome da poesia". O álbum está agora disponível para pré-encomenda.. O single "Je te vois enfin" foi recentemente lançado. A canção foi misturada pelo lendário produtor americano Mike Dean, conhecido pelo seu trabalho com Kanye West, Lana Del Rey e Jay Z, entre outros. https://www.youtube.com/watch?v=58zNAdKs0gs Redcar les adorables étoiles é o seguimento do aclamado EP La vita nuova  em 2020, para o qual foi lançada uma curta-metragem de acompanhamento. Anteriormente, Christine and the Queens fez nome no panorama musical francês e internacional com o álbum Chris e singles conjuntos com Charli XCX & Caroline Polachek ("New Shapes") e 070 Shake ("Body"). A sua canção "Christine", lançada em 2014, já foi vista 56 milhões de vezes no Youtube. https://www.youtube.com/watch?v=rs40yxHjTxQ O novo álbum, intitulado Redcar the Lovely Stars, está agora disponível para pré-encomenda. [wtfplaylist id="22968"] The post Christine and the Queens | um novo single para anunciar o álbum appeared first on What The France.

  • The Supermen Lovers | Um novo álbum e uma playlist exclusiva para What The France !
    by Marie-Sophie Administrateur on 19/07/2022 at 08:00

    The Supermen Lovers, alias Guillaume Atlan, é um compositor e produtor francês de música electrónica nascido em Paris a 9 de Fevereiro de 1975. Aos oito anos de idade, começou a estudar teoria musical e piano no Conservatório Francis Poulenc (Paris), que durou oito anos. Por volta dos 16 anos de idade, começou a tocar em várias bandas de jazz-funk ácido. Em 1999, gravou o seu primeiro álbum de música electrónica na editora Cyclo em Inglaterra, sob o nome de School, uma dupla que formou com Stéphane Bejean-Lebenson. A sua faixa "Ain't no Love" foi remixada por Larry Heard. Lançou então a sua própria editora, Lafessé Records, e começou a produzir discos de house music sob o pseudónimo Stan de Mareuil. Em 2000, iniciou o projecto The Supermen Lovers como uma homenagem ao título de uma canção de Johnny "Guitar" Watson, "Superman Lover". Depois de um primeiro single, "Marathon Man", Guillaume compôs o título "Starlight". O cantor Mani Hoffman juntou-se a ele nesta faixa, na qual ele cantou e co-escreveu a letra. O sucesso de "Starlight" foi imediato e ele assinou o seu primeiro álbum, The Player, no label BMG em 2001. "Starlight" atingiu o N°2 nos charts de singles mais vendidos em França e no Reino Unido, e foi um grande sucesso em vários outros países, incluindo a Bélgica, Austrália, Alemanha, Espanha e Itália. O videoclipe realizado por David Nicolas Honoré de Barzolff ganhou um prémio no Festival de Cinema de Animação de Annecy e tem actualmente quase 38 milhões de visualizações no YouTube. https://www.youtube.com/watch?v=h61QG4s0I3U   Depois de uma série de E.P's lançados entre 2001 e 2004, o álbum Boys in the Wood foi lançado no final de 2004. Em 2008, o Guillaume Atlan conheceu Rick Bailey da lendária banda funk Delegação, que lhe pediu para produzir uma nova versão do seu êxito "You & I". O artista decidiu então iniciar um novo álbum, no qual convidou várias celebridades funk dos anos 80, incluindo Rick Bailey e Norma Jean Wright do grupo Chic. Em colaboração com a editora La Tebwa, o seu terceiro álbum Between The Ages foi lançado em Novembro de 2011. Dois anos depois, Guillaume decidiu criar um novo selo, chamado "Word Up Records", em homenagem a uma canção de Cameo, na qual lançou sucessivamente o E.P Absolute Disco (2016), Walking on the Moon (2017) e Clock Sucker (2018), que servem de prelúdio para o seu novo álbum, Alterations. No seu novo selo, também assinou numerosos artistas como Entschuldigung, Neumodel, Roommates, Fell Reis ou Natty Fensie. Em 2019, Guillaume Atlan está a compor a banda sonora do filme "La Lutte des classes" de Michel Leclerc, que também será distribuído no Brasil, Bélgica, Itália e Suíça de língua alemã. Em 27 de Maio, The Supermen Lovers revelou o seu novo álbum, Body Double. Um quarto álbum de estúdio de grande diversidade musical e profunda emoção, garantindo momentos brilhantes na pista de dança, do qual uma primeira amostra já estava disponível no dia 13 de Maio com o duplo single "My Only / Mendoza". Para acompanhar este lançamento, The Supermen Lovers convida-o a descobrir a sua selecção pessoal de faixas "Made in France" numa playlist exclusiva feita para What The France! Uma oportunidade para (re)descobrir faixas de Etienne de Crécy, Cheek, Daft Punk, Cassius, Bob Sinclar, Vitalic, Justice, Carte Blanche, Air, Scott Grooves, Parliament, Funkadelic, Entschuldigung, Patrick Coutin, Cerrone, Serge Gainsbourg, Alain Souchon, Chagrin D’amour, Yves Simon, Mirwais, Bernard Lavilliers ou Boule Noire.  [wtfplaylist id="44387"] The post The Supermen Lovers | Um novo álbum e uma playlist exclusiva para What The France ! appeared first on What The France.

  • Especial 14 de Julho | a playlist revolucionária de What The France !
    by Marie-Sophie Administrateur on 14/07/2022 at 08:00

    Todos os anos, a data de 14 de Julho é sinónimo de feriado nacional em França. Este feriado foi instituído pela lei Raspail de 6 de Julho de 1880, para comemorar o assalto da Bastilha a 14 de Julho de 1789, que simbolizou o fim da monarquia absoluta. A queda da famosa prisão da Bastilha foi um acontecimento fundador da Revolução Francesa, marcando o início de uma longa série de transformações, reformas e inovações que deixariam uma marca duradoura na história de toda a Europa. Para além do seu aspecto político, a Revolução também contará fortemente com as artes para divulgar as suas ideias à população francesa e a música será um veículo de eleição para alcançar este objectivo. Muitos hinos e canções foram criados durante este período, que durou cerca de dez anos, o mais famoso dos quais foi obviamente "La Marseillaise" de Rouget de Lisle. Composto em 1792, sob o nome original de "Chant de guerre pour l'armée du Rhin", na sequência da declaração de guerra da França contra a Áustria, tornou-se o hino nacional francês três anos mais tarde por decreto da Convenção. Por vezes substituído por outras obras posteriormente, o seu carácter de hino nacional será novamente oficializado na Constituição da Quarta República em 1946, depois em 1958 na Constituição da Quinta República Francesa. Esta canção revolucionária, que exalta a liberdade e o patriotismo, é um verdadeiro apelo à luta contra a tirania. "La Marseillaise" foi rapidamente traduzida e exportada internacionalmente, com uma primeira adaptação em italiano em 1797, seguida por uma versão russa chamada "La Marseillaise des travailleurs" em 1875. Mais tarde, em 1931, acompanhou o nascimento da Segunda República Espanhola, depois o líder chinês Mao Tse-tung utilizou-a durante a Longa Marcha pelo seu Exército de Libertação do Povo, entre 1934 e 1935. Em 1970, "A Marselhesa Socialista" tornou-se também o hino do Presidente chileno Salvador Allende, antes de ser banida sob o regime ditatorial do General Pinochet, apenas três anos mais tarde. Os Beatles também utilizaram as primeiras notas de La Marseillaise para compor o seu êxito de 1967 "All You Need Is Love". A obra recebeu mais tarde um novo sopro de vida do falecido Serge Gainsbourg, que gravou uma versão reggae na Jamaica em 1979, intitulada "Aux armes et caetera", com a participação dos três backing singers regulares de Bob Marley: Rita Marley, Marcia Griffiths e Judy Mowatt. É esta versão, destinada segundo o seu autor a devolver a esta canção "o seu significado original" que abre a nossa playlist dedicada às canções revolucionárias, é seguida de duas adaptações mais recentes: uma assinada pelo artista Big Red, membro da dupla Raggasonic, lançada vinte anos após a de Gainsbourg, e a outra interpretada pelo cantor Melismell, lançada em 2011. What The France seleccionou uma antologia destas canções de protesto desde a Revolução Francesa até aos nossos dias, através da "Commune", da Segunda Guerra Mundial ou da Guerra da Indochina, mas também inspiradas por lutas históricas sociais ou políticas, bem como canções anti-militares. Encontrará obras intemporais pilares do património musical francês como Edith Piaf, Georges Brassens, Anna Marly, Serge Reggiani, Jean Ferrat, Léo Ferré, Mireille Mathieu, Nino Ferrer, Yves Montand e Georges Moustaki, mas também faixas contemporâneas de NTM, HK & Les Saltimbanks, Saycet, IAM, Zebda, Keny Arkana, Ryon & Naâman, Tonton David, Saez, Disiz La Peste, Pat Kalla, No One Is Innocent, Laam, Zoufris Maracas e Tryo. " [wtfplaylist id="30239"] The post Especial 14 de Julho | a playlist revolucionária de What The France ! appeared first on What The France.

  • Stéphane Fuget | O tecladista e maestro do conjunto Les Epopées assina uma playlist para What The France
    by Marie-Sophie Administrateur on 12/07/2022 at 08:00

    O maestro francês, fundador do Ensemble Les Epopées, tentou a sua sorte no exercício de playlist para What The France. Stéphane Fuget elaborou uma playlist de mais de 30 das suas peças favoritas interpretadas por artistas franceses. O programa inclui obras de Berlioz, Delibes, Rameau, Ravel, Schumann e algumas surpresas. Apresentadas por artistas franceses, algumas das peças desta selecção honram os seus colegas: o conjunto Clément Janequin de Dominique Visse, o Organum de Marcel Perez ou Les Talens Lyriques de Christophe Rousset. Haverá também solistas de renome internacional de uma era passada, como o baixo russo Fédor Chaliapine, Yvette Guibert ou Régine Crespin, ao lado de Roberto Alagna, a soprano Claire Lefilliâtre, ou Jean-Christophe Spinosi Stéphane Fuget criou Les Epopées em 2018. Estabeleceu-se rapidamente nos palcos mais importantes. É um dos maestros mais promissores do repertório barroco com uma abordagem atenta ao texto baseada na importância da declamação. Em residência no Château de Versailles, Les Epopées gravou um conjunto de quatro discos dos Grands Motets de Lully para o label CVS, que foi aclamado pelos críticos como o "renascimento do barroco". Está também em residência no Festival de Beaune para as óperas completas de Monteverdi. Os projectos mais audaciosos são de esperar de Stéphane Fuget e do seu conjunto. Um festival e uma academia na Borgonha, uma digressão internacional com Marie-Nicole Lemieux, as óperas completas de Monteverdi para o label   CVS estão no menu para os próximos meses. [wtfplaylist id="44442"] The post Stéphane Fuget | O tecladista e maestro do conjunto Les Epopées assina uma playlist para What The France appeared first on What The France.

  • Victoires du Jazz | Descubra os vencedores da edição de 2022!
    by Marie-Sophie Administrateur on 07/07/2022 at 08:59

    No final da cerimónia realizada a 29 e 30 de Junho em Juan-les-Pins, foram entregues cinco prémios aos artistas mais memoráveis dos últimos meses. Esta nova edição marca o 20º aniversário da cerimónia, que honra os artistas que contribuíram para o desenvolvimento do género musical e para a influência cultural do jazz em França e a nível internacional. O evento foi transmitido a 6 de Julho no canal de televisão CultureBox e está agora disponível em replay até 2 de Janeiro de 2023. Os vencedores 2022 são : Artista instrumental : Sophie Alour Artista vocal : Marion Rampal Revelação (Prix Frank Ténot) : Arnaud Dolmen Album jazz : « Ghost Song » – Cécile McLorin Salvant (Nonesuch) Album de música do mundo : « Shapes of the fall » – Piers Faccini (Beating Drum/No Format!) Pode encontrar todos estes artistas na nossa playlist  "Kiss my Jazz" ! [wtfplaylist id="22970"] The post Victoires du Jazz | Descubra os vencedores da edição de 2022! appeared first on What The France.

  • Francofolies | (Re) descubra os artistas emergentes 13 a 17 de Julho de 2022
    by Marie-Sophie Administrateur on 07/07/2022 at 08:00

    Como todos os anos antes das  Francofolies, os jovens artistas emergentes são destacados durante os meses do Chantier des Francofolies. É uma oportunidade para descobrir a cena francesa com antecedência e alimentar a sua curiosidade e experimentar uma noite única! Muitos dos artistas mais conhecidos de hoje passaram pelo Chantier, tais como Pomme, Juliette Armanet, Bigflo e Oli, ZAZ, Thérapie Taxi e Ben Mazué O culminar destes destaques tem lugar nas Francofolies de 13 a 17 de Julho de 2022, quando estes talentos promissores poderão actuar nos vários palcos do festival. O público também poderá participar em 100 concertos, cerca de trinta Folles Rencontres, exibições de filmes, debates literários, passeios de canto, conversas culinárias, ateliers artísticos e excursões. https://www.youtube.com/watch?v=naBnE8Cr4-A A selecção Chantier des Francofolies deste ano é patrocinada pelo artista Voyou, que elaborou uma playlist exclusiva, na qual encontrará faixas de Ladaniva, PPJ ou Gwendoline, mas também Bonnie Banane, Flavien Berger & Rebeka Warrior, Melissa Laveaux, Albin de la Simone, Lenparrot & Sarah Maison, François & The Atlas Mountains, HSRS & La Chica, QuinzeQuinze, Bagarre, Mansfield. Tya, Yelle, Fishbach, Hey Djan, Lothar, Pépite, L'impératrice, Yoa, SainT DX, Charlotte Adigéry & Bolis Pupul, November Ultra ou Philippe Katerine. Ouçam-na agora! [wtfplaylist id="42115"] The post Francofolies | (Re) descubra os artistas emergentes 13 a 17 de Julho de 2022 appeared first on What The France.

  • “A classical voyage with… Mathieu Romano”
    by Marie-Sophie Administrateur on 06/07/2022 at 08:00

    Para o seu nono episódio de "A classical voyage with… ", a equipa What the France conheceu o maestro do coro e fundador do Ensemble Aedes, Mathieu Romano. https://youtu.be/w8f0zU8_B_4 Na mitologia grega, os Aedes eram contadores de histórias que recitavam textos poéticos, muitas vezes acompanhados pela lira. Mathieu Romano está particularmente ligado à língua, dicção e pronúncia, e foi muito inspirado por este nome, que também significa "templo" ou "casa", para criar o  Ensemble Aedes em 2005. Famoso pelo seu vasto repertório que vai do renascimento à música contemporânea, o Ensemble Aedes é composto por 17 cantores que formam o grupo principal, e até 40 cantores para produções de ópera. O Ensemble Aedes construiu uma rica discografia dedicada a uma música a cappella em muitos géneros diferentes, desde um álbum dedicado a Jacques Brel e Barbara até gravações que exploram as diferentes perspectivas da música de coro dos séculos XX e XXI O conjunto colabora com grupos de renome na interpretação de obras-primas do repertório vocal e instrumental (Les Siècles, a Orchestre de Paris, a Orchestre Philharmonique de Radio France, o Latvian Radio Choir...). Escute a playlist exclusiva de Mathieu Romano para What The France. [wtfplaylist id="44196"] The post “A classical voyage with… Mathieu Romano” appeared first on What The France.

  • King Daddy Yod | Três novos singles e uma playlist exclusiva para What The France !
    by Marie-Sophie Administrateur on 05/07/2022 at 08:00

    Félix Sténard, mais conhecido como Daddy Yod ou King Daddy Yod, é um artista francês nascido em Petit Canal, Guadalupe. Ele é um dos pioneiros do estilo raggamuffin em França. Fez a sua estreia ao levar o microfone no sound system Youthman Unity Academy, antes de participar na compilação "France Connection" em 1987 com a faixa "Elle n'est pas prête". Três anos mais tarde, foi convidado a aparecer na compilação Rapattitude, na qual fez o seu nome com a sua faixa "Rock en zonzon", e o álbum foi rapidamente certificado como Disco de Ouro. A sua popularidade nas Índias Ocidentais e na França Metropolitana cresceu ainda mais com o single "Faut pas taper la doudou", retirado do seu primeiro álbum Redoutable, lançado em 1990 e recentemente reeditado em formato digital. No ano seguinte lançou um segundo álbum, King, que incluía o sucesso "Delbor". Gravou depois os álbuns L'incorruptible (1993), com a famosa dupla jamaicana Sly & Robbie, depois Le survivant (1995) e Le contrat (1997), colaborando ao mesmo tempo com o grupo de rap Tout Simplement Noir.   Em 2001, lançou o álbum Kimbé Red, seguido de Show girl (2002) e Fraîche (2006), no qual reviveu o seu sucesso "Delbor" na companhia de Flya, Jamadom, Tiwony e Ragga Ranks. Participou também nas compilações Killa session 2 e Atomic Riddim. Em 2010, co-dirigiu, com Cristobal Sévilla, o filme documentário "Era uma vez ... Raggamuffin", que inclui entrevistas com os principais actores do movimento, tais como Pablo Master, Princess Erika, Saï Saï, Ras Kodjo Asher de Jah Wisdom, Sidney de H.I.P H.O.P ou Ragga Dub Force Massive. Em 2014, revisitou o seu famoso single "Delbor" com os jovens artistas Daly e Politik Nai para celebrar o seu regresso à cena indiana ocidental, depois gravou os singles "Démarré mwen" (2018), na companhia do falecido Jacob Desvarieux do grupo Kassav', e "Aime la vie que tu mènes" (2021) ao lado do artista Real Axe. Em 2022, foi convidado a aparecer no E.P. Soundclash time da editora Old Capital Records, e revelou três novos singles ("Confusion", "Clean" e "Peu importe"), anunciando o seu novo álbum, esperado no Outono. Para aguardar com mùsica, King Daddy Yod criou uma playlist exclusiva para What The France, que destaca artistas do estrangeiro com faixas de Jacob Desvarieux, Majesty, Sir Samuel, Kalash, Admiral T, Keros-N, Kassav’, Guy Al MC, Yaniss Odua, Sista Jahia, Fefe Typical & DJ Kaprisson, Were-vana, Krys, DJ Moody Mike & Jahlys, Thierry Cham ou Francky Vincent, mas também Princess Erika, Nuttea, Real Axe ou o falecido Tonton David. [wtfplaylist id="44208"] The post King Daddy Yod | Três novos singles e uma playlist exclusiva para What The France ! appeared first on What The France.

CARREGAR MAIS